Biologia em pauta

Escorpiões estão adaptados a cidades e acidentes crescem no verão

escorpiao

Durante o verão, é preciso redobrar as precauções contra acidentes com escorpiões, animal selvagem que se adaptou bem ao ambiente urbano, adverte Giuseppe Puorto, Biólogo do Instituto Butantan e conselheiro do Conselho Regional de Biologia da 1ª Região (CRBio-01).

Nas cidades, os escorpiões se alimentam de insetos, principalmente das abundantes baratas. Os animais abrigam-se sobretudo em entulhos em terrenos baldios e quintais. Com alguma frequência, invadem casas e apartamentos no piso térreo e escondem-se em frestas e buracos no chão e parede e debaixo de móveis, eletrodomésticos e outras estruturas.

Segundo Giuseppe Puorto, há mais de 100 espécies de escorpiões e todas são venenosas. Mas a maior parte dos acidentes no Brasil é causada por quatro espécies. A mais ativa e tóxica é o escorpião-amarelo, com incidência nas regiões Sudeste, Sul e parte do Centro Oeste. Esse animal é o responsável pela grande maioria dos acidentes com escorpiões na cidade de São Paulo (SP).

As outras espécies causadoras de acidentes são: escorpião-marrom, presente no Sudeste; escorpião-amarelo, que se diferencia do seu homônimo por ter uma faixa marrom e habitar a região Nordeste; e escorpião-preto, encontrado na região amazônica.

O elevado número de acidentes com escorpiões – 155 mil casos em 2019 – causa preocupação, mas deve-se levar em conta que a letalidade é reduzida. Apenas 0,1% das pessoas picadas vão a óbito.

“A picada de escorpião causa dor aguda. Ao ser picado, é importante manter a calma. A primeira medida é lavar o local com água e sabão e, logo em seguida, ir para o serviço de saúde mais próximo”, aconselha Giuseppe Puorto, que alerta que as crianças são especialmente vulneráveis ao veneno de escorpiões.

No serviço médico, o protocolo é ministrar primeiramente analgésicos para aliviar a dor. Em seguida, se for o caso, administra-se o soro específico para o veneno da picada.

Na cidade de São Paulo, em geral, os pacientes são levados para o hospital do Instituto Butantan. Nem todas as cidades do interior têm centros médicos com soro, mas ele está disponível dentro de um raio que permita o transporte do paciente em pouco tempo.

“Como prevenir os acidentes com escorpiões? Nós criamos as condições para que os escorpiões se adaptem ao ambiente urbano. Eles se alimentam de baratas, que estão por toda parte, e abrigam-se nos entulhos. A população pode ajudar evitando acumular entulho no seu quintal e em terrenos baldios”, orienta o Biólogo.

(Publicado em 01 de março de 2021)

CRBio Digital

Serviços Online

Transparência

Anuncie